Aprendizado formal vs linguagem do dia-a-dia – Qual deles priorizar?

G’day and welcome back!

Espero que estejam todos bem depois das festas de fim de ano. Eu sobrevivi, não comi até ficar bloated e não bebi até ficar ralphing – duas das coisas mais comuns nessa época do ano! =)

O tema do post de hoje é um pouco diferente, mas está dentro do que acontece muito na sala de aula – alguns alunos chegam questionando sobre essa ou aquela palavra (geralmente uma slang) e, se o gap de idade entre professor e aluno é de mais de 5 anos, fica uma situação meio awkward onde o professor não sabe do que se trata e os alunos ficam a ver navios…

No exemplo da férias de fim de ano, bloated (do verbo to bloat) significa ficar cheio, inchado de tanto comer. Temos aí o sentido direto, real da palavra que representa algo que acontece no nosso corpo quando a gente come.

Já a palavra ralphing – um echoic term – significa vomitar, chamar o Hugo (de fato!). Essa expressão, em inglês, pega uma palavra ralph, transforma em um substantivo (usando -ing), e descreve o som que fazemos quando vomitamos. Da mesma forma que usamos o “Hugo”, no Brasil. A palavra ralphing também pode ser considerada uma slang.

Aprendizado formal?

Aprender uma língua formalmente não significa que você só vai absorver um vocabulário rebuscado e complexo. Longe disso. Aprender algo formalmente é ir pra escola, fazer um curso, receber um determinado conteúdo de forma clara e padronizada. Pra mim, o aprendizado formal de inglês no Brasil e em Londres foi essencial na minha jornada e, de quebra, me deu uma profissão muito popular (em demanda alta) e bem paga (em caso de aulas particulares).
Então, em vez de falarmos sobre aprendizado formal, talvez devêssemos falar de linguagem formal versus informal.

Formal vs Informal

Vamos dar o exemplo da escrita. Quando estamos no trabalho e precisamos enviar um email pra um cliente, fornecedor, etc, usamos linguagem formal ou informal? Preferencialmente, usamos mais formalidade nessas situações. Em inglês, o nível de formalidade em uma comunicação por escrito é chamado register. Será que o nível de formalidade – register – de um email de trabalho é maior ou menor do que de um documento legal, por exemplo (um contrato de locação de imóvel)? E uma mensagem de WhatsApp pra um amigo, como se diferencia de uma mensagem para um conhecido? Todas essas relações de register estão ligadas ao grau/nível de formalidade que devemos seguir para uma comunicação mais natural.
Na fala, seguimos o mesmo esquema de register.

Qual desses registers devemos priorizar?

Hum… Vejamos.
“Quero ser um rapper e fazer uma letras em inglês”.
“Quero me comunicar melhor com meus colegas de empresa nos escritórios fora do Brasil”.
“Quero viajar me comunicar com nativos e não-nativos (falantes de inglês)”.
“Quero dar aulas de inglês”.
“Quero fazer um mestrado/doutorado em um país onde se usa inglês no meio acadêmico”.

Tudo vai depender do seu objetivo principal. Claro que, aqui e ali, você vai se deparar com termos, expressões e gírias, que são mais formais ou informais, mas aí é colocar todas essas palavras no caderno, aprender a usar e seguir em frente com seu objetivo. De uma maneira geral, não-falantes de inglês vão acabar usando um inglês levemente formal na fala e na escrita e vão se entender muito bem, com quase nada de ruído na comunicação.

Espero que o post tenha sido útil para você(s).

Não se esqueça de se inscrever no blog para não perder os próximos posts.

See you next time
Cheers!
Teacher Rod

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: